quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

CANCÚN: PASSEIOS A FAZER - E MICOS A EVITAR!

Texto e fotos: E. Shih
Nossa viagem foi assim:
Época: agosto *****
Hotel: JW Marriott *****
Faixa etária das crianças: 1-3 anos *****; 3-5 anos ****; 5-7 anos ****


Pensando em ir pra Cancún? Veja as dicas de uma família amiga sobre os passeios a fazer - e evitar - no destino preferido dos brasileiros no Caribe!


Cancún é um lugar muito popular entre brasileiros. Quase todas as operadoras têm pacotes de vários níveis e preços para lá. Nós utilizamos a CVC. Além de ser mais em conta do que reservar tudo separado, indo por uma operadora tivemos algumas facilidades. Por exemplo, quando precisamos mudar a data da nossa viagem por motivos de força maior, o agente foi quem remarcou tudo para nós. Recomendamos! Só não vale a pena fechar os passeios com eles; veja mais detalhes abaixo.

O hotel

Vista do nosso quarto: maravilha!
Nós ficamos no Hotel JW Marriot. A princípio, estávamos na dúvida entre o Marriot Casamagna (que tem equipe de recreação e é vizinho do JW), o Fiesta Americana Grand Coral Beach e o JW. Escolhemos o JW por não haver disponibilidade no Casamagna e por não ter "cara" e "clima" festeiro de resort (a gente queria um lugar mais tranquilo).

É um resort muito bom e elegante. Os quartos são ótimos (grandes) e todos com vista para o mar; as camas, uma delícia; o banheiro, espaçoso. Como temos três filhos, arrumamos dois quartos conjugados, ficando os pais num quarto, e no outro as crianças, com a porta de acesso no meio. Assim que chegamos, o pessoal do hotel foi bastante gentil em nos ceder um dos quartos antes do horário, porque o outro não estava pronto ainda. Deu para nos trocarmos e ir para a piscina logo no primeiro dia.

Piscina nota 10!
A piscina do hotel é muito boa, com forma orgânica (de contornos arredondados) e de profundidade boa para crianças maiores. Para os menores tem uma piscina mais rasa. O bar da piscina de lá é muito bom para petiscar durante o dia; as crianças adoraram comer o franguinho frito e o prato de frutas.

A única desvantagem para famílias com crianças é que neste hotel não tinha equipe de recreação. No nosso caso, as crianças tiveram pouquíssimo tempo ocioso para brincar no hotel, portanto a falta de monitores não fez muita diferença. No entanto, quem se hospeda no JW Marriot pode usar a equipe de recreação do hotel vizinho, o Casa Magna Marriot, mediante o pagamento de uma taxa. O acesso é feito por uma passarela.

Ressaltamos que o hotel não é dos mais baratos, mas as acomodações são muito boas e o serviço é impecável. Valeu cada centavo que pagamos!

Restaurantes

Lagostas vivas no Lorenzillo´s
No capítulo "restaurantes", o tradicional Lorenzillo´s é imperdível! A comida é ótima e dá para reservar com o concierge do hotel. Quando fomos a Cancún em nossa lua-de-mel, há mais de 10 anos, o restaurante já era bom, e agora pudemos ver que não perdeu a forma.

Prato de frutos do mar do Lorenzillo´s
O caranguejo gigante é o destaque do lugar, mas os outros frutos do mar também são bons e bem preparados. Se você gosta de lagosta, pode escolher a sua na hora, num aquário do restaurante.

Uma experiência péssima foi o restaurante japonês Mikado do Casa Magna Marriot (nota do FR: também, olha o nome! Tinha que ser micado...) Não vá! O yakissoba estava mole, passado do ponto (tivemos que devolver o prato), e o chef que preparava o teppan yaki na chapa grande começou a fazer um monte de malabarismos que beiravam o ridículo... A espátula que ele estava girando nos dedos caiu em cima do meu copo de cerveja, e eu e minha filha saímos de lá ensopadas e fedendo a cerveja... Bom, pelo menos ofereceram uma sobremesa de cortesia!

Comemos uma vez também no Bubba Gump. Faz parte da famosa rede americana, e o esquema, o ambiente e a comida são bem parecidos com os dos EUA. É muito bom para quem gosta de camarão. Mas tem opções de menu infantil (as crianças comeram hambúguer), o que é ótimo, pois muitas crianças não gostam do crustáceo (é o caso da minha filha...)

Os passeios

Navio do Captain Hook
O primeiro que fizemos foi logo no primeiro dia, no jantar. Era um jantar temático no navio do Captain Hook! O show era uma apresentação de luta de espadas entre os piratas de dois navios rivais em "alto-mar". O mais divertido é que um dos barcos era o nosso, então nos sentimos como se estivéssemos no meio da luta. Como era um jantar com show, durou até tarde e as crianças saíram de lá dormindo... A comida, no entanto, não era boa. Havia a opção de um menu que incluia lagosta, mas não ajudava muito. Com ou sem lagosta, a comida em si não valeu a pena.


Luta de espadas
Para nosso filho pequeno, que adora piratas e espadas, foi uma aventura, mas as meninas acharam chato. O que ficou de mais legal foi a foto que eles tiram logo que você entra no barco, da família toda com um baú cheio de jóias e dois piratas horrendos, um de cada lado!!! O duro foi carregar 3 crianças sonolentas para o táxi no final...

Vista do submarino: meio pobre
Fizemos também um passeio de submarino com a empresa Acquatours. Eles têm uma marina enorme localizada na avenida dos hotéis. Para chegar ao submarino pegamos um barco com bebida à vontade. O passeio de barco foi legal. O submarino em si não tinha graça. Parecia uma lata de sardinha (eles lotam até o último lugar) e para mim, que sou claustrofóbica, foi um sufoco! A visibilidade não é boa, porque o local é muito raso e os poucos peixes e tartarugas que vimos eram pequenos. A vegetação também era feia.

Cenote
Um passeio que valeu realmente a pena foi Chichen Itzá. A ida de ônibus é um pouco longa (cerca de 2 horas), mas no meio do caminho paramos num cenote (um buraco gigante em que no fundo tem uma piscina natural, profunda e gelada) e pudemos nadar lá. As crianças tiveram medo.

Brrr! Água gelada!


Meu filho me acompanhou, mas entrava e logo queria sair porque a água estava gelada, e além disso tinha uns peixes pretos nadando por perto que o deixaram apavorado! Foi muito engraçado - para os adultos, é claro.

Chichen Itzá: impressionante
até para as crianças
A visita ao sítio arqueológico em si foi legal. Agora, comparando com nossa visita de 13 anos atrás, há uma invasão de vendedores de souvenirs pelo sítio todo. Também não é mais permitido subir na pirâmide, como antigamente. Apesar disso, a grandeza dos monumentos em Chichen Itzá deixou as crianças realmente admiradas. No final do percurso tem uma barraquinha de sorvete que ajuda refrescar o calor.

O almoço no hotel de Chichen Itzá também é bom e está incluso no passeio. A comida não é gourmet, mas tem alguns pratos típicos do México que vale a pena experimentar. Adoramos uma panquequinha mexicana, tipo uma fajita, com carne de porco refogada e desfiada, bastante pimenta e cerveja XX (diz-se "Dos Equis").

Essa é a vista que se tem do alto
 da torre de Xcaret
O passeio a Xcaret é outro destaque de Cancún. Lá tem um rio subterrâneo que pode ser percorrido a nado. Todos usam colete salvavidas e, se você quiser, pode usar nadadeiras (recomendado devido à distância). Há algumas saídas no meio do percurso, caso você se canse, mas recomendo ir até o fim, se possível, porque lá no final já estão os seus pertences, um chuveiro e não precisa caminhar. Se optar por sair antes, tem que andar até este local para pegar os seus pertences. Há umas partes escuras, outras de águas bem azuis e transparentes. Nas partes escuras pode haver morcegos, mas nada assustador demais, dá para levar as crianças numa boa.

Capela em Xcaret: parque
grande e eclético.
No início do percurso do rio subterrâneo, há um fotógrafo. Vale a pena tirar a fotografia e depois comprar na saída do parque. Saia com um pouco de antecedência, no final do dia, para dar tempo de "achar" a sua foto e comprar alguma lembrancinha na loja.

Torre de Xcaret
No parque também há muitas outras atrações, como uma torre alta e giratória em que você pode visualizar todo o entorno. A caminhada para chegar à torre é longa, por isso procure ir logo no início do passeio. O parque é enorme e tem viveiros de vários animais, como tartarugas, golfinhos e outros animais aquáticos. Cada animal tem o seu tanque. Há também um aquário com diversas espécies menores e coloridas.

A comida em Xcaret não era das melhores, mesmo porque era feita de "baciada". Há uns dois ou três restaurantes no local. Entre eles, as opções mais interessantes eram os pratos típicos mexicanos e a pizza, que experimentamos e estava boa.

Indo para o snorkel em Isla Mujeres
O outro programa imperdível em Cancún é nadar com golfinhos. Fizemos este passeio com a empresa Dolphin Discovery. Eles têm uma ótima infraestrutura na Isla Mujeres e são muito organizados. Saímos de Cancún a bordo de um barco, tendo optado por uma atividade com os golfinhos em que os visitantes podem tocá-los e alimentá-los. Há outras opções de atividades, como nadar ou mergulhar com golfinhos - coisas mais radicais que não dá para fazer com crianças menores. Novamente, nosso filho pequeno, mais corajoso e descolado, curtiu muito a interação com os golfinhos, enquanto suas irmãs mais velhas ficaram com um certo receio dos animais, que são bem grandes, por sinal!

Piscina da Dolphin Discovery
Nesse passeio, também, fotógrafos registram tudo, tirando fotos e filmando, e depois você pode comprar o DVD e as fotos. Vale como lembrança! Bom, a essa altura deu para perceber que adoramos comprar as fotos que tiram nos passeios, não é? O que podemos dizer é que, ao voltar para casa, mostramos o DVD para toda a família, e foi muito legal relembrar o passeio e compartilhar esses momentos tão inesquecíveis com as pessoas que não estiveram lá!

Depois de nadar com os golfinhos, pegamos um táxi (incluso) e fomos para um outro ponto na própria Isla Mujeres, que também pertence à empresa Dolphin Discovery. Lá, pudemos nadar numa piscina deliciosa, mergulhar com snorkel (apesar do mar agitado não ter permitido ver nada) e almoçar num restaurante bem gostoso, um buffet muito organizado e limpo. Depois de passar a tarde neste local com bebida à vontade (inclusive margueritas!!!) voltamos para o pier e pegamos o barco de volta para Cancún.

Fizemos também um city tour, mas, honestamente, não vale a pena, porque fora da zona hoteleira não tem nada de interessante na cidade de Cancún propriamente dita.

Fizemos a reserva de todos os passeios pela operadora parceira da CVC lá em Cancún, mas no final achamos que saíram muito caro. Recomendamos que os interessados procurem outras alternativas. Não vale a pena comprar da operadora porque, para a maioria deles, você tem que se virar para ir até o local de saída, de táxi ou de ônibus. No Dolphin Discovery, por exemplo, tivemos que ir de táxi até a marina, pegar fila, etc. O agente não fazia nada. O mesmo ocorreu no barco pirata; chegamos no local para retirar os ingressos e eu mesma tive que pegar fila. Só para Chichen Itza e Xcaret que vieram nos buscar no hotel. O submarino do Acquatours reservamos no hotel mesmo (eles têm um quiosque lá no meio das piscinas).

Além de todos os passeios que se pode fazer em Cancún, achamos interessante reservar um ou dois dias para curtir a piscina do hotel. As crianças normalmente não aguentam o pique de sair para passeios todo santo dia, portanto um dia de intervalo a cada dois ou três passeando é o ideal. Os hotéis de Cancún têm piscinas e paisagismo caprichados, e você paga cada centavo disso! Então, nada mais justo do que aproveitar aquilo que você já pagou. Também é importante lembrar que quase todos os passeios de Cancún são opcionais, ou seja, toda vez que você sai para algum passeio tem que desembolsar mais dinheiro, portanto ficar no hotel é, além de tudo, uma opção econômica.

Então, se você está pensando em ir a Cancún, esperamos que essas dicas ajudem a tornar sua viagem mais agradável e divertida!