quinta-feira, 4 de novembro de 2010

A BOA SURPRESA DE FOZ DO IGUAÇU

Nossa viagem foi assim:

Época: fevereiro *****
Hotel: Bourbon Cataratas *****
Faixa etária das crianças: 5-7 anos *****


Já faz um certo tempo que fomos a Foz do Iguaçu. Em nossa visita, percebemos que havia muito mais estrangeiros circulando pelo parque do que em outros locais do Brasil - e quase mais estrangeiros do que brasileiros. Além disso, em conversas com famílias amigas, percebemos que as pessoas nem sequer levam em consideração uma viagem a Foz. Achamos realmente um desperdício! Por isso, resolvemos contar um pouco da nossa curta viagem à cidade, pois quando estivemos lá ficamos muito (e agradavelmente) surpresos com o lugar. Esperamos assim incentivar as pessoas a visitarem esse que é um dos destinos mais famosos do mundo, mas que nós, brasileiros, raramente lembramos na hora de planejar nossas férias.

Nossa família também não é exceção nesse caso - só decidimos ir a Foz para levar um visitante de fora que veio passar uns tempos no Brasil, caso contrário nem sequer consideraríamos ir para lá. Assim, levando na bagagem somente esmaecidas lembranças de nossas viagens de infância às cataratas, embarcamos rumo à cidade fronteiriça entre Brasil e Paraguai. Na verdade, queríamos apenas mostrar alguma beleza natural ao nosso visitante, e voltar para casa com a missão cumprida, sem maiores expectativas.

Há muitas maneiras de organizar uma viagem à cidade; nós compramos um pacote da CVC. Barato, pagamento parcelado, e muito conveniente. Mesmo levando em consideração a qualidade duvidosa dos guias e a chateação de andar num grupo grande, de ônibus (gente chegando atrasada, etc), achamos que valeu a pena. Os lugares de visitação em Foz são um pouco distantes uns dos outros, dos hotéis e da cidade, portanto um tour estruturado ajuda bastante - tanto na logística, quanto no custo. Isso é especialmente importante quando se viaja com crianças pequenas, pois você fica livre da tarefa de ter que planejar cada passo, procurar caminhos (caso alugue um carro), etc. A conveniência de reservar passeios diretamente com o guia, ao invés de ficar pesquisando e comprando vários passeios separados, também foi muito apreciada.

Opções de hospedagem

Playground aquático do Bourbon
Nossa primeira boa surpresa foi o próprio hotel. O Bourbon Cataratas (www.bourbon.com.br/cataratas) é um hotel antigão, grande e com decoração démodé. Mas é impecavelmente limpo, bem administrado, com serviço cordial, quartos espaçosos, piscina aquecida... E o melhor de tudo: uma bela piscina para crianças, enorme, rasinha, e com um playground aquático muito divertido. Todas as tardes depois de um dia de passeio, íamos à piscina infantil quando estava calor (e que calor!), ou à piscina interna quando estava chovendo. Além disso, o hotel fica na Rodovia das Cataratas, a poucos minutos do parque nacional.

Na época em que visitamos, o hotel que fica dentro dos limites do parque, bem juntinho à trilha que leva às cataratas, ainda não estava funcionando. Agora já está aberto, então é uma opção a se considerar. Não chegamos a verificar o custo, e nem conhecemos ninguém que ficou hospedado lá, portanto não podemos falar sobre a qualidade. Mas a localização com certeza é imbatível. Você sai do hotel e está a quinze minutos de caminhada da parte principal das cataratas.

Outros hotéis pelos quais passamos ficavam localizados na cidade de Foz. Avaliando somente de vista, pareciam antigos, e por serem hotéis urbanos não tinham tantas opções de lazer quanto o Bourbon. A outra desvantagem é que ficam mais distantes das cataratas. Se Foz fosse uma cidade interessante para o turista, até valeria a pena ficar nesses locais. Mas, pelo que pudemos ver, a cidade não tem muito de charme e lazer a oferecer, portanto, em nossa opinião, só teria valido a pena ficar hospedado lá em função do custo, que é mais baixo do que nos hotéis que ficam na Rodovia das Cataratas.

As cataratas

Por falar em cataratas, só visitando mesmo para lembrar por que esse é um dos cartões-postais do Brasil e um dos lugares mais conhecidos no mundo. Não é preciso dizer que a beleza do lugar é imbatível, a quantidade de água, inacreditável - você realmente sente na pele o poder e a força da natureza. Mas o melhor de tudo isso é que essa beleza toda está embalada agora por uma estrutura boa, com serviço competente e ótimas opções de lazer para os visitantes.

Quando partimos para nossa viagem, não sabíamos que o parque havia ficado tão interessante. Depois que voltamos, ficamos sabendo que a administração dos equipamentos e serviços foi cedida à iniciativa privada, o que explica a boa estrutura que encontramos ao chegar (http://www.cataratasdoiguacu.com.br/). Passando pela portaria, os visitantes eram levados até o início da trilha por ônibus do próprio parque, caso tivessem ido por conta própria, ou pelos ônibus de turismo autorizados, quando em grupo.

A trilha pavimentada dá vista
frontal para as cataratas
Fomos deixados no início do caminho que leva até a parte principal das cataratas, que pode ser feito em cerca de 30 minutos sem paradas, ou até 1 hora indo bem devagar e parando para fotos. Toda a trilha acompanha, pelo lado brasileiro, as cataratas do lado oposto, garantindo vistas espetaculares. Passarelas suspensas sobre o abismo, assegurando uma vista frontal das cataratas e um banho de gotículas d´água, vários mirantes ao longo do caminho e um elevador panorâmico no final fazem o passeio ainda mais agradável e bonito. Chegando ao centro de visitantes, há um restaurante self-service com comida caseira surpreendentemente gostosa (principalmente ao final de uma caminhada cansativa), com vista para as cataratas.

Macuco Safari

Macuco Safari começa com
um passeio de jardineira
A outra opção que existe dentro do parque, e que fizemos, foi o passeio de bote inflável pelo leito do rio, que dá oportunidade de ver as cataratas de baixo (http://www.macucosafari.com.br/). O nome do passeio, Macuco Safari, não tem nada a ver com o barco. O nome é proveniente de um curto passeio de jardineira (trenzinho a diesel) pelo meio da floresta (impressionante), que leva os visitantes até certo ponto. Dali em diante, é necessário fazer uma caminhada por trilha (em grande parte pavimentada) na mata. O caminho é curto, mas pode ser cansativo para alguns por causa do relevo e do calor sufocante, e leva até o local de embarque nos botes.

Vista bem próxima das
cataratas
O embarque é feito numa plataforma sobre o rio, onde os visitantes são equipados com coletes salva-vidas, e entram em grandes botes para o passeio pelas cataratas. Vale avisar que os coletes não são a coisa mais limpa que já vimos na vida, então se você achar que pode ficar incomodado, leve um paninho para colocar entre seu pescoço e o colete. O outro detalhe importante é que você vai se molhar, portanto proteja bem os equipamentos eletrônicos. De resto, a água é bem vinda porque o calor é insuportável. Em hipótese alguma desista do passeio, pois é emocionante!

A sensação de estar ao pé de uma queda d´água altíssima e a vista inusitada das cataratas lá de baixo são imperdíveis. O piloto do barco também faz algumas manobras, como aproximar-se das quedas d´água ou ficar andando em grandes círculos, que fazem o passeio ainda mais emocionante. Não podemos deixar de mencionar que já houve um acidente nesse barco há alguns anos, mas em nosso passeio em momento algum sentimos insegurança ou perigo. Evite levar crianças muito pequenas, que poderão se recusar a fazer a caminhada pela mata, ou que não vão querer usar o colete, ou ainda ficar com medo no barco.

Outras opções

Quatis são presença constante e divertida
O parque tem também uma lojinha de presentes muito interessante, com souvenirs, roupas, etc, e cujo destaque são os animais de pelúcia - espécies exóticas da fauna brasileira, que são difíceis de encontrar em outros locais. Além de serem um presente muito bonito, não deixam de ser educativos para as crianças. Em nossa visita também tivemos encontros com alguns animais, e o que mais gostamos de encontrar foram os quatis, que estão por toda parte.

Tudo isso fizemos no lado brasileiro das cataratas. O passeio do lado argentino não pudemos fazer, mas temos lido em todos os lugares que é completamente diferente do lado brasileiro. Portanto, aquela história de que "quem viu um, viu todos" não se aplica aqui. Mesmo tendo visitado o lado brasileiro, aparentemente vale a pena ver o argentino, pois oferece uma experiência diferente. Para fazer esse passeio você vai precisar de pelo menos meio dia.

Na estrada que leva ao parque, há também um santuário chamado Parque das Aves, muito bem cotado pelos visitantes pela variedade de espécies e pela beleza do lugar. Nós não visitamos o local, mas pelos comentários deve ser muito bonito, principalmente para as crianças que gostam de animais (ou seja, quase todas).

Visitantes em Itaipu
Outro lugar bem interessante para uma visita é a usina de Itaipu (http://www.itaipu.gov.br/). Controversa, enorme e muito conhecida, Itaipu oferece uma visita organizada e educativa, sem ser chata. As crianças mais velhas, em especial, vão gostar de conhecer a imensidão de um lugar sobre o qual ouviram falar na escola, e que ainda por cima é bonito e interessante, especialmente se um ou mais dos vertedouros estiverem abertos, deixando ver a enorme vazão de água da usina. Se sua família ou seus filhos não se interessarem nem um pouco pelo assunto, então provavelmente vão morrer de tédio.

Usina: mais interessante quando
o vertedouro está aberto
Se for fazer todos esses programas, quatro a cinco dias serão suficientes para sua estadia em Foz. Ideal para um feriado prolongado ou uma viagem mais curta naquelas férias em que estiver com o tempo apertado. Portanto, um lugar muito conveniente e lindo para visitar, e para entender por que esse é um dos locais que mais atraem estrangeiros no nosso país!

Veja mais informações em http://turismo.ig.com.br/destinos_nacionais/2010/07/26/foz+do+iguacu+paraiso+de+aguas+de+fazer+inveja+a+estrangeiros+9538481.html.

Texto gentilmente revisado por A.K.Arahata.

2 comentários:

  1. Cecilia Carvalho13 novembro, 2010

    Fizemos esta viagem num feriado de quatro dias e adoramos! Além da beleza natural é impressionante ver que dá para fazer turismo de qualidade em um parque nacional brasileiro. Além do Macuco Safari, há outros passeios dentro do parque que achamos muito legais, especialmente o passeio de caiaque que passa pela Ilha dos Tucanos, onde é possível avistar e fotografar inúmeros e lindos tucanos!

    ResponderExcluir
  2. Eu moro em Foz do Iguaçu , o lugar é realmente muito belo , porém a presença de quatis na área da alimentação atrapalha muito pois eles sobem em cima das mesas e roubam a comida das nossas mãos , eles são fofos e etc mais são muito perigosos pois uma mordida de um deles pode transmitir raiva para a pessoa , e mesmo se você comprar a comida de guardar dentro de uma bolsa eles sentem o cheiro do alimento e te atacam , por isso aconselho a não levar comida nem comprar lá pois o risco é grande e a falta de patrulhamento para proteger os turistas é mínimo, e não precisamos nem falar para não alimentar eles né ?
    Tirando isso o lugar é maravilhoso , vale a pena visitar 😘

    ResponderExcluir

Mande seus comentários, perguntas ou mais dicas sobre este destino.