terça-feira, 5 de outubro de 2010

CRUZEIRO NO ALASCA???

Por M.C. Carvalho
Fotos J.A. Carvalho



Fiorde Tracy Arm
Essa foi nossa reação quando uma família amiga nossa disse o que estava planejando para as férias de julho. Imediatamente pensamos em icebergs batendo nas laterais do navio (como em Titanic), pesca com esquimós naqueles buraquinhos redondos no gelo (como nos desenhos do Chilly Willy), tomar Chivas com pedras de gelo de milhares de anos (como na propaganda da TV)...

Realmente é um destino muito inusitado - mas só para nós, brasileiros! Os americanos, viemos a descobrir, viajam para o Alasca sempre (e os preços, exceto da passagem aérea, não são tão caros quanto tínhamos imaginado), então quando nossos amigos voltaram da viagem, fizemos uma intimação: queremos um post sobre a viagem para o nosso blog.

O resultado começamos a publicar hoje: não apenas um, mas quatro posts diferentes sobre essa viagem incrível. O primeiro post é sobre o planejamento da viagem e dicas sobre a escolha de um cruzeiro. Esperamos que gostem tanto quanto nós!

Escolhendo o Alasca

Falar em viajar ao Alasca desperta olhares espantados que já nos imaginam em iglus observando esquimós vagando na imensidão congelada. Mas o Alasca é muito mais que gelo...o 49o estado americano e o maior deles tem riquíssimas paisagens de tundra, fiordes, canais e glaciares, uma fauna exuberante e está muito bem preparado para receber o turista.

Optamos por um cruzeiro para conhecer o Alasca, já que o estado é praticamente inacessível por terra e a viagem permite a parada em diversas escalas, cada uma com sua beleza peculiar.

Escolhendo um cruzeiro

Seven Seas Navigator
Nosso navio, o Seven Seas Navigator da empresa Regent Seven Seas (http://www.rssc.com/), partiu de Vancouver, Canadá e rumou norte até Seward com conexão por trem até Anchorage, maior cidade do Alasca. Várias empresas de cruzeiro incluem o Alasca em seus itinerários, inclusive algumas familiares aos brasileiros como a Royal Caribbean, (http://www.royalcaribbean.com.br/), a Norwegian NCL (http://www.ncl.eu/) e até a Disney (http://www.disneycruise.disney.go.com/) que em 2011 levará seu Disney Wonder para lá. Vale consultar os sites e as opções oferecidas: os itinerários para a próxima temporada já estão disponíveis e o destino é muito popular entre os americanos e lota rapidamente.

Os roteiros são oferecidos durante o verão do hemisfério norte, entre junho e setembro, e são variações sobre o mesmo percurso básico: sair de uma cidade do extremo noroeste americano ou canadense (São Francisco, Seattle, Vancouver) e rumar norte, ou vice-versa: sair de Seward, no Alasca (porto próximo à Anchorage) e rumar sul. Algumas empresas fazem ainda opções de roteiros com chegada e partida no mesmo lugar.

A vantagem dos cruzeiros “mão-única” - que só sobem ou descem, é que em sete dias você consegue conhecer os principais portos do Alasca, enquanto nos “vai-e-vem” uma ou outra cidade acaba ficando de fora, normalmente a própria Anchorage (Seward) e Sitka, antiga capital. Se você pensar que o Alasca é um destino pelo qual você irá se aventurar uma única vez, os cruzeiros de mão-única são a melhor opção, principalmente porque podem ainda ser complementados com programas pós-cruzeiro agendados com a própria empresa marítima, para explorar Anchorage e o Parque Nacional Denali, onde fica a montanha mais alta da América do Norte,o Mckinley ou até mesmo Fairbanks, mais ao norte.

Mesmo que o seu cruzeiro não saia de Vancouver, é sempre bom consultar o seu agente para a necessidade de um visto do Canadá, pois deve haver uma parada em território canadense, seja na ilha Vitória ou em Prince Ruppert, e há passeios em terra que implicam em cruzar a fronteira (um deles é o excelente passeio de trem ao vale do Yukon em Skagway).

Nossa escolha baseou-se na excelente reputação da REGENT, várias vezes parte da “GoldList” de melhores empresas de cruzeiro do mundo da conceituada publicaçãoCondéNastTraveller, (consulte a lista completa no site www.cntraveller.com/magazine/the-gold-list-2010) no roteiro mais completo e na variedade de excursões em terra oferecidas. O pacote é “all inclusive”: todas as refeições a bordo, bebidas alcoólicas, a maioria dos passeios em terra, as passagens aéreas dentro dos Estados Unidos. O navio é pequeno, leva aproximadamente 400 passageiros, o serviço é personalizado e as acomodações muito confortáveis. Empresas como a NCL e a Disney oferecem navios com mais atrações, porém com muito mais passageiros também.

Portos de parada do cruzeiro pelo Alasca
O trecho viajado é calmo, pois grande parte do percurso é feito em águas protegidas. Porém, um alerta: apesar de ser verão no hemisfério norte, estamos falando em Alasca: altas latitudes e temperaturas na faixa dos 8 a 14º C e alta umidade que se traduz em tempo nublado e grande possibilidade de chuva (chamada por lá carinhosamente de “liquid sunshine”, ou “sol liquefeito”), o que em nada atrapalha os passeios em terra que já são programados para ser “all-weather”, ou seja não são cancelados por conta de chuva, mas que implica em planejamento na bagagem: roupas impermeáveis, capas de chuva, gorros, luvas são itens que não podem faltar.

Prepare-se para longos dias: durante o verão no Alasca, o sol se mantém baixo no horizonte durante toda a noite e há apenas algumas poucas horas de escuridão, nunca completa, quase como um “lusco-fusco”.

Vista da varanda do navio
para o porto de Skagway
No que se refere a levar crianças ao Alasca, e portanto em um cruzeiro marítimo, não recomendaria aos menores de 6 anos. Alguns passeios envolvem longas horas, deslocamentos e caminhadas. O navio não é a prova de crianças pequenas: não há proteção nas varandas, os gradis externos são baixos, menores de 10 anos não podem circular pelos deques ou usar os elevadores sozinhos. Para essa população, o melhor mesmo talvez seja analisar os cruzeiros da Disney. Já para os maiorzinhos, um cruzeiro como o nosso oferece uma boa oportunidade para conhecer crianças e adolescentes de outros países, praticar o inglês e observar a vida animal.

No caso da Regent, as acomodações são duplas e pouquíssimas cabines acomodam 3 pessoas, ou seja, uma família de quatro como a nossa precisa reservar duas cabines e as crianças pagam tarifa “cheia”. Apesar de existir um programa de entretenimento para os pequenos a bordo, não há uma área no navio desenhada e decorada com o propósito de entreter as crianças – os encontros acontecem numa sala de conferências “adaptada” para recebê-los. O staff se resume a duas monitoras e a programação inclui muitos filmes e jogos de tabuleiro num ambiente que implica em domínio da língua inglesa. Minhas crianças curtiram os jantares temáticos e a visita à cozinha para preparar e decorar cookies.

Como nosso objetivo era viajar em família e ficar juntos, esse item não pesou na nossa escolha e acabou trabalhando a nosso favor, pois as crianças ficavam conosco durante os passeios, e em algumas noites e nas tardes de navegação nos davam uma folga para usufruirmos dos bares e restaurantes mais sofisticados. Todos os restaurantes são bastante flexíveis para providenciar pratos menos elaborados e mais ao gosto infantil. No almoço há diariamente um buffet de sanduíches, grelhados e sorvetes no deque da piscina.

Semana que vem continuam os posts do Alasca. Próximo assunto: uma visão geral do Alasca.


35 comentários:

  1. Em janeiro fiz um cruzeiro a ANTARTIDA, saindo de Buenos Aires, com direito a visitas a Ushuaia e Falkland Islands, pela Princess Cruises!
    Nunca tinha imaginado fazer algo parecido e foi uma experiência extraordinária, por isso, não estranho nem um pouco a escolha por uma viagem ao ALASKA, q, aliás, espero fazer um dia!
    Mto boas as informações e boa viagem!
    paula baek

    ResponderExcluir
  2. Elma Braga28 junho, 2012

    Detestei o cruzeiro que fiz pela Antartida pelo Star Princess. Não pelo navio que já o conhecia de uma das minhas viagens pelo Mediterrâneo mas, pelos portos com tão poucas opções do que fazer ...Terríveis principalmente Punta Arenas e Puerto Montt. Sensação de dinheiro jogado fora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí depende da pessoa. Eu simplesmente adoro caminhar numa cidade diferente, apreciar a urbanização, arquitetura, ruas, tendo a sensação de que estou vivo e de que a vida vale pena por estar conhecendo o mundo. Respeito a sua opinião, mas como vejo o mundo dessa maneira, qualquer lugar é bom pra mim.

      Excluir
  3. Elma Braga28 junho, 2012

    Detestei o cruzeiro que fiz pela Antartida no navio Star Princess da cadeia Princess Cruises. O navio eu já conhecia de uma das minhas viagens pelo Mediterrâneo, uma ótima embarcação. O ruim mesmo são os portos com poucas opções do que fazer...E especial Punta Arenas e Puerto Montt que se tem a sensação de dinheiro jogado fora. Ao atravessar o Cabo Horn é preciso que se diga que faz medo pela violência dos ventos e correntes marítimas que fazem o navio parecer uma casquinha de noz. Sinceramente não repetioria nem indicaria a ninguém!
    Gostaria de saber se vou encontrar esse tipo de desconforto no cruzeiro pelo Alasca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elma, conforme nossos amigos descreveram na postagem acima, o mar no Alasca é relativamente calmo porque passa pela "inside passage", que é protegida. Ao contrário, os cruzeiros pela Antártida cruzam o cabo Horn, reconhecidamente uma das águas mais agitadas do planeta.

      Excluir
  4. Caros
    estou realmente interessada no cruzeiro pelo alasca mas fiquei com uma grande dúvida: Como vocês foram ou voltaram da cidade no alasca em cruzeiro de mão única?
    grata

    Danielle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Basta chegar por uma cidade e ir embora pela outra. Normalmente isso implicará uma conexão a mais. Por exemplo, se para chegar a Vancouver você fizer 2 conexões, para voltar de Anchorage precisará fazer 3.

      Caso a companhia aérea escolhida por você não tenha voos para Anchorage, você precisará comprar esse trecho do aéreo avulso. Não se esqueça, portanto, que a franquia de bagagem provavelmente será menor do que os voos internacionais.

      Excluir
  5. Olá! Farei um cruzeiro pelo Alaska de 7 dias, partindo de Vancouver, e voltando para o mesmo lugar!

    Eu preciso tirar visto americano? Ou basta o canadense?

    Aguardo resposta!

    Obrigado,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você precisa dos dois vistos, pois o Alasca é um estado americano, e tanto Vancouver quanto alguns dos portos e/ou passeios são em território canadense.

      Excluir
    2. Obrigado pela rápida resposta!
      Já imaginava que precisaria, mas queria ter certeza.
      Minha viagem é pelo Canadá, então já estarei com o visto de lá. Como inventei de última hora ampliar o passeio e ir pro Alasca, queria confirmar se o visto americano tb era necessário!
      Já dei início hoje mesmo no procedimento de tirar o visto!
      Espero que eu goste do cruzeiro!
      =)

      Excluir
  6. Olá! Preciso de uma recomendação!
    Não sei em que época do ano vocês foram, mas estou partindo para o Alasca dia 6 de setembro e fico 7 dias no cruzeiro.
    Acredito que seja finzinho de verão e início de outono.
    Que tipo de roupas devemos levar? Precisamos comprar muitas roupas específicar para frio?
    Outra dúvida. Nosso pacote ofereceu um tour gratuito a escolher. Qual das cidades você recomenda que escolhamos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nós fomos em pleno "verão", meio de julho e pegamos, com sorte, dias de muito sol - normalmente chove bastante. Mas nada (nada mesmo) de bermudas ou camisetas de manga curta (nem mesmo ao meio-dia). O traje básico era uma calça de sarja própria para turismo de aventura, camiseta de manga comprida e um polar. A jaqueta pesada ia na mochila, assim como os gorros e/ou bonés. Muitos passeios são "na água": pescar, ver baleias, caiaque, geleiras...então a jaqueta impermeável é mais do que bem-vinda, assim como a botinha/tênis de material impermeável. Todos no navio se vestiam assim. Nos dias de mais frio, quando o céu fecha, ou muito próximo das geleiras, você vai precisar também de uma roupa do tipo "segunda-pele", daquelas que a gente veste bem agarradinha ao corpo. E vale reforçar, nós pegamos quase nenhuma chuva, mas tenho uma amiga que ficou sete dias embaixo de água, então vale reforçar a questão da impermeabilidade da roupa, pois muitos passeios acontecem independentemente da chuva...

      Excluir
    2. Ótimo! Obrigado pelas dicas!
      E quanto ao passeio? Como disse, ganhamos um da agência de turismo grátis. E nós que escolhemos!
      Qual vale mais a pena?
      Juneau? Ketchikan? Icy Strait? Geleira Hubbard?
      Ver baleias? andar de trenó puxado por cães?
      Não queria desperdiçar com um passeio sem graça! Qual(is) é(são) imperdível(is)?

      Excluir
    3. Veja a opinião da autora do post:
      "Acho que todos os passeios que ele citou são legais, depende mesmo do gosto da família, da idade das crianças. Eu acho a Geleira Hubbard muito interessante, única em seus tons de azul, linda mesmo. Se o cruzeiro dele não for passar por Tracy Arm (outra geleira magnifica), então eu optaria pela Hubbard. Se o cruzeiro for fazer o detour por Tracy Arm, então ele já verá uma linda geleira e pode optar pelas baleias. Você pode até não ver as baleias "bridging"ou pulando para fora da água, mas baleia você vai ver, e elas são magníficas e é emocionante a procura, um passeio que especialmente as crianças amam. Estes dois passeios (baleias e geleira Hubbard) eu fiz em Juneau. Em Ketchikan, os passeios são mais "turísticos" mesmo, meio que montados para o turista, lá se eles não quiserem fazer passeio algum, dá para ficar andando pela cidade e vendo totens e museus e lojinhas..."

      Excluir
  7. Olá! Parabéns pelo blog!!!
    Estou pensando em fazer um cruzeiro em família para a Alaska em dezembro. Vc acha viável, em termos de aproveitamento do passeio no inverno?
    Como temos muita vontade de conhecer o Canadá tb, planejaríamos partir do Canadá, mas temos muita dúvida por causa da época do ano (dezembro), que é quando dispomos de mais tempo para viajar.
    Obrigada pela atenção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viviane, veja a resposta dos autores do post:
      "pelo que eu saiba não há cruzeiros para o Alaska no inverno do hemisfério norte, a maioria das empresas opera entre maio e setembro apenas. No inverno as horas de sol são muito poucas e quase não há turistas. A aurora boreal em março costuma atrair visitantes e algumas empresas organizam excursões com esta finalidade específica, mas dezembro e janeiro.....acho que não rola! Agora no Canadá temos as estações de ski. Talvez seja a melhor aposta para nossa leitora."

      Quanto ao Canadá, acesse nossa última postagem: "Whistler: Esqui é só a cereja do bolo."

      Excluir
  8. OI
    Parabéns pelo blog
    Eu e meu marido pretendemos ir a Vancouver e ao Alaska no ano que vem, qual o mês que vocês acham que seria melhor?
    Tenho um filho de 6 anos que estou em duvida de leva-lo...
    O que vocês que tem filhos acham?
    Obrigada
    Elisa - Florianopolis

    ResponderExcluir
  9. OI
    Gostaria de fazer uma viagem para o Alaska e Vancouver no ano que vem, qual o mês que vocês acham melhor maio ou agosto?
    E eu tenho um filho de 6 anos será que ele aproveitaria esta viagem?
    Obrigada
    Elisa - Florianopolis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elisa, não temos a menor dúvida de que seu filho aproveitará muito a viagem. O Alasca a bordo de um cruzeiro é um lugar fascinante, com as facilidades de um hotel 5 estrelas. Tanto é apropriado para crianças, que em 2013 a Disney teve cruzeiros na região, e em 2014 também deve ter.

      Excluir
  10. Olá pessoal! Temos um cruzeiro para o Alaska já confirmado para o dia 16 de julho próximo. Somos um grupo de 18 pessoas. Já pesquisamos sobre os passeios em terra e escolhemos alguns, mas não queríamos reservá-los pela companhia no navio. Devem existir empresas que podemos contactar para comprar esses passeios direto da internet não é? Vocês conhecem alguma empresa? Agradeço antecipadamente pela atenção. Maria Cynthia Doering Kollross - Mafra-SC

    ResponderExcluir
  11. Olá
    Eu e minha esposa fizemos um cruzeiro ao Alaska em Agosto/2013 pelo navio Star Princess, 7 noites, saindo e retornando a Seattle. Paradas em Skagway, Juneau, Ketchikan, Tracy Arm, Victoria (Canadá). Só pelo fiorde Tracy Arm já valeria a pena. Em Juneau recomendo o passeio ao Glaciar Mendenhall e subir de teleférico ao Mt. Roberts, depois uma caminhada pelo centro da cidade que é pequeno (são passeios relativamente baratos e interessantes, acho que não deve haver grande diferença de preço contratando pela empresa do navio ou particularmente no local, um fator a pensar é que contratando pelo navio eles são obrigados a te esperar em caso de algum contratempo, já contratando fora, não). Existem muitas outras opções de passeios, é claro, mas para quem estiver disposto a pagar até 300/400 US$ por vôos de helicóptero, avião, etc. Ketchikan e Skagway são cidadezinhas bem pequenas, dá perfeitamente para conhecê-las à pé, se o dia estiver bonito. Em Ketchikan não deixe de conhecer a vila com casinhas e passarela de madeira ao longo do rio, de onde se observa uma grande quantidade de salmões. É uma fria, completamente sem graça o passeio num ônibus anfíbio em Ketchikan. Outro passeio, em Skagway, um tanto sem graça é um tour de van que segue até um trecho da estrada que segue pelo Klondike Passage. Há um bom número de passeios nestas cidadezinhas que podem até ser interessantes, mas caros. De qualquer forma nesse cruzeiro é preciso um pouco de sorte com o tempo, pegamos dias excelentes, mas às vezes fica com nevoeiro. O navio era excelente, boa comida, bons shows, tudo muito organizado. Não comentei sobre passeios em Victoria pois como já conhecíamos, não desembarcamos. Leve um casaco pesado para ficar no convés no trecho do Tracy Arm.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, gostaria de saber se eu embarcar e desembarcar em Seattle precosarei do visto canadense? Obg!

      Excluir
    2. Conforme explicamos nas postagens, para fazer o cruzeiro no Alasca é aconselhável tirar o visto canadense. Isso porque a maioria dos navios tem um itinerário que inclui uma excursão de terra que entra em território canadense. Para evitar acabar perdendo alguma coisa, o melhor é ir para lá com o visto tirado.

      Excluir
  12. Para um cruzeiro no Alasca você recomenda cabine externa com varanda?

    ResponderExcluir
  13. Oi
    Voces recomendam ida e volta navio ou retorno de aviao ?
    Vou com marido, criança de 8 anos e avos com 72

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você for de navio e voltar de avião, vai poder visitar mais cidades, pois não vai precisar repetir o trajeto. Mas conseguir passagem de ida para um lugar e volta de outro é um custo elevado e um trabalhão, talvez não valha a pena! Ir e voltar de navio é mais cômodo e igualmente bonito.

      Excluir
  14. Boa noite
    Estou um pouco perdido em relacao ao Alaska, apenas estou com bilhete emitido de Sp para Anchorage e em Março agora de 2016....
    Gostaria de informacoes se existem cruzeiros nessa epoca? na verdade minha principal razao para ir ao alaska agora em março eh ver ou tentar ver a Aurora Boreal...como faco sendo que estarei hospedado em Anchorage?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Procure nos sites www.cruisecritic.com e similares para ver se tem cruzeiros, mas acreditamos que não.
      Para ver a aurora é preciso ir no inverno, e para fazer cruzeiro, é obrigatório ir no verão. Então, são duas atividades incompatíveis...

      Excluir
  15. Tenho passaportes polonês e brasileiro (já tenho visto americano). Para ir ao Alasca preciso tirar o visto, mesmo com passaporte da Polônia? Obrigada.
    Fani Knoploch

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fani, para saber essa resposta, visite o site do consulado canadense.

      Excluir
  16. Tenho dois passaportes: o brasileiro com visto americano e o polonês. Para ir ao Alasca, preciso do visto canadense, mesmo tendo o passaporte polonês?
    Fani Knoploch

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fani, você precisaria verificar no consulado canadense quais nacionalidades são isentas de visto. Alguns países europeus não precisam de visto.

      Excluir
  17. Oi, pessoal, tudo bem? Em 1o lugar, muito obrigada por todas as dicas em relação ao Alasca! Meu embarque está próximo e estou bem ansiosa, hehe.
    Tenho uma dúvida, um pouco grande e urgente: vou fazer um cruzeiro, de 7 dias, saindo de Vancouver (Glacier Cruise Celebrity Infinity). Entretanto, gostaria de saber como vocês fizeram os passeios na cidade. Vocês compraram as atrações lá mesmo? Compraram dentro do navio de vocês? Como funciona mais ou menos? Sei que os navios são diferentes, mas gostaria muito de ter uma ideia. Tenho medo de não ter passeios disponíveis para compra no navio e eu não conseguir ter acesso a eles quando chegar nas cidades. Vale a pena comprar antes, por exemplo, através do Trip Advisor?
    Aliás, as cidades são grandes? É possível se locomover a pé? Ou precisa de carro? Por exemplo: é longe sair do navio e ir para os passeios?


    Muito obrigada desde já.
    Abraços,
    Thaís

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A viagem do Alasca que foi relatada aqui foi num cruzeiro all inclusive, portanto não havia opcionais de passeios. De maneira geral, em cruzeiros é recomendável fechar os passeios com antecedência, e diretamente na empresa de cruzeiro. Sai mais caro, mas você não corre o risco de perder horário de embarque, etc.

      Excluir

Mande seus comentários, perguntas ou mais dicas sobre este destino.